segunda-feira, 8 de abril de 2013

APELO - TERRENO



Corria o ano de 2009, quando nascia em São João da Madeira a primeira associação de proteção animal do concelho. Apesar de só ter sido formalmente reconhecida como associação a 3 de Junho de 2009, já há alguns anos que a Ani São João lutava diariamente pelo bem-estar dos animais abandonados de São João da Madeira. Inicialmente o grupo era constituído por apenas 2 voluntárias que diariamente, fizesse chuva ou fizesse sol, cuidavam dos animais do canil municipal. Depois, através do passa-palavra e da divulgação na internet juntaram-se a este grupo mais algumas pessoas e foi então que o sonho de ter em São João da Madeira uma associação que defendesse os direitos dos animais começou a ganhar forma.

A criação da associação abriu algumas portas para que se conseguissem mais donativos, para que pudessem existir associados e respectivas quotas, para que pudessem ser criadas parcerias. Mas trouxe também mais responsabilidades, mais encargos, mais animais abandonados no canil.

A Ani São João passou a ser conhecida e reconhecida, para o bem e para o mal. Se por um lado conseguimos mais ajudas, mais donativos, mais adoções, por outro passamos a ter mais e mais animais "abandonados" nas nossas instalações. Mais telefonemas de situações críticas a precisarem de ajuda urgente, mais denúncias de maus tratos.

Durante todo este tempo a nossa grande preocupação sempre foi para com os animais do canil municipal de São João da Madeira. Grande parte do nosso tempo e esforço é dedicado a cuidar diariamente do bem-estar destes animais, garantido a sua alimentação, a higienização do canil e os cuidados veterinários básicos. Temos algumas FAT – Famílias e Acolhimento Temporário, que se juntaram a nós nesta luta e que são fundamentais para que possamos socorrer gatos, uma vez que o canil não tem instalações para acomodação de felinos, e socorrer outros animais que se cruzam connosco e que precisam de cuidados especiais de saúde que não conseguimos garantir nas instalações do canil.

A Ani São João é uma associação feita exclusivamente de voluntários e, para além dos donativos e quotas dos associados, não recebe qualquer tipo de apoio de nenhuma entidade oficial. Conseguir alimentar, cuidar e esterilizar os nossos animais é uma luta constante, uma luta desigual em que as vítimas são sempre as mesmas: os animais que conheceram o lado errado do ser humano.

Hoje, passados 4 anos da criação oficial da Ani São João, não conseguimos responder a todos os pedidos que nos chegam. Todos os dias aparecem novos animais abandonados, todos os dias são entregues ou devolvidos mais animais. A desculpa é quase sempre a mesma: a crise. Mas não é uma crise de dinheiro, é uma crise de valores. Seres humanos que se comprometem a acolher no seio da sua família um animal, um ser vivo, e à primeira contrariedade livram-se dele como se fosse um trapo velho, sem sequer se esforçarem por encontrar uma solução.

O canil tem apenas 8 boxes, 8 boxes que mesmo sendo partilhadas, muitas vezes por 3 e 4 animais, não conseguem dar resposta ao número de animais que precisam de nós. Não temos gatil, nem um espaço destinado a animais em quarentena ou em recuperação de problemas de saúde mais graves ou pós-operatórios. Para além do constrangimento do espaço, o edifício deteriora-se de dia para dia e não sendo nosso não podemos efetuar as obras necessárias para garantir as condições mínimas de segurança e conforto aos nossos animais.

Mas o pior de tudo é viver na incerteza de sermos obrigados a deixar o canil, uma vez que é uma instalação da câmara e que a qualquer momento pode ser demolida tendo em conta a existência do Canil Intermunicipal das Terras de Santa Maria que também abrange o concelho de São João da Madeira.

Por tudo isto precisamos urgentemente de encontrar um terreno onde possamos construir o nosso canil/gatil. Um local só nosso, pensado para responder às necessidades dos nossos animais, com mais boxes, com mais espaços de recreio, com gatil, com uma enfermaria e uma sala de banhos.

Apelamos por isso à generosidade dos sanjoanenses, alguém que esteja disposto a ceder-nos um espaço ou a arrendar por um preço simbólico.

Vivemos do voluntariado e da generosidade da população, mas hoje mais do que nunca, precisamos que essa generosidade se transforme num terreno, para conseguirmos continuar a cuidar dos animais abandonados e mal tratados que foram condenados a uma vida miserável por causa da crueldade e do egoísmo humano.

Ajude-nos a ajudar!